Este projeto está centrado na prioridade horizontal do programa Erasmus+ de “Inclusão e diversidade em todos os domínios da educação, formação, juventude e desporto” e visa reduzir a exclusão social dos alunos com perturbações do desenvolvimento no contexto escolar.

O principal objetivo deste projeto é partilhar experiências e ideias entre parceiros experientes no campo educacional para que possamos criar recursos digitais destinados a informar e consciencializar sobre a importância da inclusão social de alunos com perturbações do desenvolvimento (PHDA, autismo, paralisia cerebral, síndrome de down, dislexia e outras problemáticas significativas) em escola. Estes recursos destinam-se a ser utilizados pelo pessoal escolar e pelos alunos do ensino pré-primário e primário.

Pretende-se:

1. Combater as desvantagens de aprendizagem, abandono escolar precoce e competências básicas pouco desenvolvidas – alunos que sofrem com problemas de exclusão na escola por causa das suas limitações são mais propensos a problemas na aprendizagem, abandono escolar precoce e vulnerabilidade nas competências socioemocionais (como criar relações sociais saudáveis ​​com os seus colegas e professores);

2. Apoiar professores, dirigentes escolares e outras áreas educativas – porque acreditamos que a mudança no contexto escolar começa com os funcionários da escola, queremos capacitá-los, dando-lhes informações e ferramentas para trabalhar melhor com crianças com perturbações do desenvolvimento e informar toda a escola sobre o tema.

 

Os objetivos específicos são:

1. Criar um “manual de boas práticas” com pontos importantes para os funcionários da escola tomarem em consideração no seu trabalho diário, a fim de promover a inclusão social de alunos com perturbações do desenvolvimento;

2. Criar outros recursos direcionados aos alunos (conteúdos pedagógico-recreativos sobre diversas problemáticas e como lidar com os colegas que os têm: vídeos e jogo de cartas);

3. Criar um curso de formação online dirigido às comunidades educativas sobre inclusão social no contexto escolar.

Todos os recursos estarão disponíveis em inglês e em todos os idiomas dos países parceiros – Espanha e Portugal (com exceção da formação, que estará disponível apenas em inglês).

Parceiros

AGIFODENT é uma instituição educacional sem fins lucrativos, estabelecida desde 2002 em Cenes de la Vega, uma pequena vila próxima da cidade de Granada, Andalucia – Espanha. A nossa organização detém uma escola VET e uma escola para adultos, ambas privadas. Somos uma organização intermediária que providencia escolas para projetos de mobilidade, jobshadowing e cursos de formação a nível europeu.

Santa Ana 1, bajo comercial
18190
Cenes de la Vega – Granada
Andalucía
Tipo de organização: organização não governamental/associação/empreendedor social

O projeto terá a duração de um ano e contará com a participação de professores, educadores, familiares e todos os que constituem a comunidade educativa em geral e as associações dedicadas às perturbações de desenvolvimento trabalhadas, em particular.

A Educação Inclusiva deve ser uma realidade, para todos: https://www.publico.pt/2022/04/14/sociedade/noticia/falta-formacao-desenvolver-educacao-inclusiva-escolas-2002490

A escola reabre para um novo ano letivo. Não dizemos que começa a escola, porque não entendemos que esta termina…
Neste novo ano letivo a EDUPA e a @Agifodent têm como foco do seu trabalho a Inclusão na Educação.
O que entende por Inclusão?
Devemos educar para incluir ou incluir para educar?
Sabia que a escola não foi criada para SER inclusiva? A escola foi criada para dar formar todos, dar a todos o mesmo conhecimento.
Então porque será que a escola QUER SER inclusiva? E como pode fazê-lo?
Demasiadas questões?

Partilhamos dois vídeos com o que entendemos serem as respostas mais esclarecedoras, sendo o primeiro em português e o segundo em inglês. Ative as legendas no youtube, se necessário.

#incedu #inclusiveeducation #educacaoinclusiva #erasmusmais #ka210
Não há Educação sem inclusão. Este é o ponto de partida para não ficarmos indiferentes e agirmos, cada um no seu campo de ação.
O Projeto +IncEdu está centrado na prioridade horizontal do programa Erasmus+ de “Inclusão e diversidade em todos os domínios da educação, formação, juventude e desporto” e visa reduzir a exclusão social dos alunos com perturbações do desenvolvimento no contexto escolar.
Pretende-se:
1.Combater as desvantagens de aprendizagem, abandono escolar precoce e competências básicas pouco desenvolvidas
     Alunos que sofrem com problemas de exclusão na escola por causa das suas limitações são mais propensos a problemas na aprendizagem, abandono escolar precoce e vulnerabilidade nas competências socioemocionais (como criar relações sociais saudáveis com os seus colegas e professores);
2.Apoiar professores, dirigentes escolares e outras áreas educativas
   Porque acreditamos que a mudança no contexto escolar começa com os funcionários da escola, queremos capacitá-los, dando-lhes informações e ferramentas para trabalhar melhor com crianças com perturbações do desenvolvimento e informar toda a escola sobre o tema.
#incedu #educacaoinclusiva #erasmusmais #ka210

A promoção da integração de estudantes com Necessidades Educativas Especiais (NEE)  nas escolas regulares teve início nos anos 70 e intensificou-se nos anos 90.

Em Portugal, desde 2008 que existe regulamentação legal que define apoio especializado para a inclusão de alunos com NEE nas escolas do ensino regular.

No entanto, uma vez que a maior parte do foco da inclusão se centrava nos alunos com NEE, seguiram-se novos esforços para incluir todos os diversos alunos nas escolas do ensino regular. Isto levou à implementação de uma nova lei  [Decreto-Lei n.º 54/2018] sobre a Educação Inclusiva em Portugal.

Na realidade, parece haver alguma resistência ao alargamento do conceito de educação inclusiva, uma vez que o sistema ainda está orientado para apoiar os estudantes com NEE de diferentes formas.

No entanto, os professores de educação especial são agora considerados recursos especializados para escolas, professores e estudantes, e espera-se assim que apoiem todos os estudantes.

O quadro legal pode mudar, mas a sensibilização da sociedade tem de acompanhar este processo. As leis em Educação abrem novos caminhos, mas são as pessoas que trilham novos caminhos. Embora as orientações europeias e nacionais caminhem para uma escola para todos, a prática tem revelado muita desigualdade e até exclusão.

A Educação Inclusiva toca em algo basilar: os nossos valores. Quais serão os valores da escola atual?

O projeto +IncEdu pretende acima de tudo sensibilizar, informar, capacitar para que se possa MUDAR!

#incedu #educacaoinclusiva #erasmusmais #ka210